Distribuidor de Equipamentos Estéticos

Distribuidor de Equipamentos Estéticos Eletroestimulador corporal Ultracavitação Radiofrequência Jato de Plasma



Distribuidor de Equipamentos Dermatofuncional Corrente Russa Lipocavitação Criofrequencia



Distribuidor de Equipamentos Estéticos Eletroestimulador corporal Ultracavitação Radiofrequência Jato de Plasma



Distribuidor de Equipamentos Dermatofuncional Corrente Russa Lipocavitação Criofrequencia



Consumir as quantidades certas das fontes corretas não somente vai garantir que seu alimento não tenha gosto de papelão, pois a gordura influencia e muito no sabor dos alimentos, mas também vai ajudá-la a perder aqueles quilos insistentes, acredite.
O propósito da gordura.
A principal razão pela qual a gordura ganha uma má reputação é porque grande parte das gorduras que comemos vem em combinações nada saudáveis, está sempre atrelada a uma grande mistura de óleo, açucares e outros aditivos, como batatas fritas com queijo cheddar e bacon. E o fato de que ela dá ainda mais sabor aos alimentos nos faz comermos muito mais do que precisávamos as vezes sem termos ideia disso. Vamos voltar um pouco no tempo para tentarmos entender melhor, quando o mamute ainda fazia parte do cardápio humano, as calorias eram difíceis de encontrar e quando encontradas era preciso caçar, ou seja, neste processo várias calorias eram gastas. Os humanos evoluíram para a fonte mais concentrada delas, e a gordura, sempre será a melhor fonte de alimento para a sobrevivência.
Nos dias atuais não precisamos mais dessa urgência primitiva para nos manter vivas, a gordura ainda tem um papel fundamental: ela contém nutrientes essenciais para nosso corpo. Vitaminas A, D, E e K são chamadas de lipossolúveis porque precisam se conectar à gordura para serem absorvidas, se não tiver gordura, essas vitaminas não serão absorvidas adequadamente. Não cobrir a salada com um molho com pouca gordura e você pode perder diversos benefícios daquelas folhas verdes, o que também pode deixar você com vontade de comer um sanduíche mais tarde. 
 “Sem gordura” isso existe mesmo?
Passamos por uma moda de alimentos com baixo teor de gordura, atente-se baixo teor de gordura, foi interpretada como um convite para consumir menos calorias. Parece perfeito não é mesmo? Mas cuidado pois na mesma medida em que a gordura sai o gosto também, e todas sabemos como é ruim estar com aquela fome e ter um lanchinho que mais parece um pedaço de papelão sendo esmagado em nossa boca, transformando o prazer em um desafio. Em geral quando a gordura sai o açúcar entra e vice-versa, pois a regra é manter o produto mais palatável possível.
O que evitar?
Para todos os tipos de gorduras boas, terá uma que deverá ser evitada: a trans, uma gordura industrial, mais conhecida como a que aumenta o mau colesterol, conhecido por LDL e diminui o bom, conhecido por HDL. Diferentemente das outras gorduras insaturadas, que têm benefícios para a saúde, a gordura trans foi alterada quimicamente por meio de um processo chamado de hidrogenação, para fazer produtos mais palatáveis e com prazo de validade maior.
Infelizmente, você nem deve saber quais produtos contêm esse tipo de gordura a não ser que você tenha o costume de ler rótulos. A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) obriga todos os fabricantes de alimentos industrializados a indicar no rótulo do produto a quantidade de gordura trans presente. Mas a legislação, criada em 2006, possui uma brecha que permite que a quantidade de gordura trans seja omitida se for inferior a 0,2 gramas por porção. Para evitar esse tipo de substancia, fuja das comidas que listam no rótulo “óleos hidrogenados” ou “óleos parcialmente hidrogenados”.
Conclusão: Na dose correta, a gordura pode ser uma de suas melhores amigas na cozinha.
 

Data: 27/07



Compartilhar: