Distribuidor de Equipamentos Estéticos

Distribuidor de Equipamentos Estéticos Eletroestimulador corporal Ultracavitação Radiofrequência Jato de Plasma



Distribuidor de Equipamentos Dermatofuncional Corrente Russa Lipocavitação Criofrequencia



Distribuidor de Equipamentos Estéticos Eletroestimulador corporal Ultracavitação Radiofrequência Jato de Plasma



Distribuidor de Equipamentos Dermatofuncional Corrente Russa Lipocavitação Criofrequencia



O mercado de estética está mudando constantemente, clínicas, conceitos, abordagem de trabalho e posicionamento de mercado mudam ano a ano. Mas tem algo que não muda, as esteticistas, o que elas estão buscando atualmente no meio dessa loucura? Resultados ou equipamentos?

Percebe-se que neste “refluxo” recente desses equipamentos, o mercado é influenciado por tendências de beleza e palavras-chave como "congelamento de gordura" e "radiofrequência", mas os proprietários de salões e os clientes devem ser cautelosos com dispositivos de cópia enganosa.

Existem fabricantes que produz cópias exatas de equipamentos reconhecidos, mas sem entender realmente a maneira como a tecnologia funciona ou o que a freqüência e a saída devem ser e operar

Equipamentos com saídas de energia incorretas tornam-no no mercado porque as regulamentações da ANVISA interpretam se é um dispositivo não é médico e, portanto, está sujeito a acreditações médicas e padrões de segurança.

Se um dispositivo é considerado para uso cosmético, as regras são muito menos apertadas.

Isso deixa a porta aberta para todos os tipos de equipamentos para entrar no mercado que poderia reivindicar uma especificação, mas entregar algo completamente diferente. Alguns equipamentos aparecem em feiras comerciais menos conhecidas, ou em sites de comércio global, possuem uma marca CE, usada para significar que o produto foi avaliado para atender aos altos requisitos de segurança.

É aqui que as águas ficam enlameadas, uma vez que uma marca CE é realmente uma autocertificação do fabricante e, de acordo com a legislação da UE, não há regras para dizer que os dispositivos importados destinados a aplicações cosméticas são obrigados a ter suas marcas CE certificadas por um terceiro.

Portanto fique atenta, busque informações não apenas de como funciona o equipamento e quais os melhores protocolos. Pesquise os distribuidores, suas referenciais e até mesmo o fabricante quando necessário. Lembre-se além de resultados é fundamental ter segurança em todos os procedimentos estéticos.

Data: 03/09



Compartilhar: